segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Sei lá, eu não sou boa o bastante não é mesmo? Às vezes eu queria aprender a ser mais durona, mais fria, menos sentimentalista. O meu problema é que eu me entrego demais, me apego demais, me iludo demais.. ou simplesmente amo demais. Não aguento ver ninguém que eu amo sofrendo, da vontade de pegar o sofrimento, passar pra mim e em troca, colocar um sorriso no rosto dela. Eu movo o mundo por pessoas que não mexem um dedo por mim. Eu finjo estar bem, para ajudar quem está mal e precisando de mim. Mesmo depois de ganhar tantas feridas, ter tantas vezes a cara quebrada eu sei, que não consigo mudar. Eu tenho medo de mostrar meus sentimentos, porque sempre vem alguém com um trator e passa por cima deles, sem dó nem piedade. Parece que quanto mais eu tento fazer o bem as pessoas, mais me machuco. Cansei de gente me ignorando. Não corro mais atrás. Tenho que parar de depender dos outros pra ser feliz, e começar a me fazer feliz. Eu queria saber o que tem de tão errado comigo, eu tento mudar, me esforço, mas acabo fazendo tudo igual. Esquecer.. isso é quase impossível na minha vida, eu realmente me assusto com a capacidade que as pessoas tem de esquecer tão rápido. Gente que ta mal em um dia e no outro, já superou. Gente que diz “não posso viver sem você” pra você e na próxima semana já diz isso pra outra pessoa. Eu não to reclamando.. Adoraria ter essa capacidade também, seria bem útil. Do jeito que eu sou, só quebro a cara. Às vezes eu queria ter amnésia, sabe? Sinto que fico parada no tempo. Não sei deixar pra lá, seguir em frente, virar a página, ou coisas do tipo. Eu fico aqui, de boba, enquanto todos se vão. Sei lá, eu me iludo demais, acho que todas as pessoas são boas, eu vejo beleza nas pessoas que eu gosto, na simplicidade, no sorriso, em cada abraço, nas nossas brincadeiras sem graça, no jeito bobo e divertido, naquele friozinho gostoso que me faz sentir, no medo de perde-las, essa simplicidade me fascina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário