quinta-feira, 22 de novembro de 2012

I Am, I Can, I Will

Eu sou - duas pequenas palavras, e no entanto, esse é um lugar poderoso no qual eu estou.
Essa é a minha vida e eu estou vivendo isso!
Eu já estou aqui, olhe para mim.

Eu sou responsável pelas minhas ações,
E todas as coisas que eu digo eu faço.
Eu sou responsável pelo meu comportamento,
E quando interajo com você.

Eu posso - Duas pequenas palavras, e no entanto esse é um poderoso lugar no qual estou.
Essa é a a minha vida e eu consigo viver ela.
viajando na terra, céu e mar.

Eu consigo ter o respeito dos outros,
E ganhar essas verdadeiras amizades.

Eu consigo fazer o meu melhor cada dia.

Eu Quero -  Duas pequena palavras, e no entanto, esse é um luga poderoso no qual estou.

Essa é a minha vida e eu posso viver ela.
Eu quero ser alguém, só esperar e ver.

Não mais uma criança, mas não um adulto no entanto
Eu ainda sou uma adolescente.
Mas não substime meu valor,
                     porque eu sou, eu posso, eu consigo.

Reescrito por: Fábio Borges e Jenifer C. Ferreira.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012


"Carinho é quando a gente não encontra nenhuma palavra para expressar o que sente, e fala com as mãos, colocando o afago em cada dedo."

O Teatro Mágico. 

"Gosto de pessoas e amores inteiros. Porque não sei me dar pela metade nem por partes. Eu transbordo. E se você também for do time que transborda, vem pra cá."

Clarissa Correa     

Uso do Hífen


Se você tem dificuldades em memorizar regras, é inútil estudar o Novo Acordo comparando “o antes e o depois”, feito revista de propaganda de cosméticos. O ideal é que as mudanças sejam compreendidas e gravadas na memória: para isso, é preciso colocá-las em prática.
Não precisa mais quebrar a cabeça: “uso hífen ou não”?

Regra Geral

A letra “H” é uma letra sem personalidade, sem som. Em “Helena”, não tem som; em “Hollywood”, tem som de “R”. Portanto, não misture um prefixo com “essa gente”.
pré-história
anti-higiênico
sub-hepático
super-homem
Então, letras IGUAIS, SEPARA. Letras DIFERENTES, JUNTA.
Anti-inflamatório                              neoliberalismo
Supra-auricular                                extraoficial
Arqui-inimigo                                    semicírculo
sub-bibliotecário superintendente

O “R” e o “S” são letras pra lá de valentes, feito Rambo e Super-homem. Por isso, se a juntarmos com uma vogal (“uma moça”), eles ficam “tão machos” que se dobram:
suprarrenal                                      ultrassonografia
minissaia                                          antisséptico
contrarregra                                     megassaia

Entretanto, se o prefixo terminar em consoante (macho igual a eles), não se unem de jeito nenhum.
Sub-reino
ab-rogar
sob-roda

ATENÇÃO!
Quando dois “R” ou “S” se encontrarem, permanece a regra geral: letras iguais, SEPARA.
super-requintado                             super-realista
inter-resistente

CONTINUAMOS A USAR O HÍFEN

Diante dos prefixos “ex-, sota-, soto-, vice- e vizo-“:
Ex-diretor, Ex-hospedeira, Sota-piloto, Soto-mestre, Vice-presidente , Vizo-rei

Diante de “pós-, pré- e pró-“, quando TEM SOM FORTE E ACENTO.
pós-tônico, pré-escolar, pré-natal, pró-labore
pró-africano, pró-europeu, pós-graduação

Diante de “pan-, circum-, quando juntos de vogais.
Pan-americano, circum-escola

OBS. “Circunferência” – é junto, pois está diante da consoante “F”.
NOTA: Veja como fica estranha a pronúncia se não usarmos o hífen:
Exesposa, sotapiloto, panamericano, vicesuplente, circumescola.

ATENÇÃO!
Não se usa o hífen diante de “CO-, RE-, PRE” (SEM ACENTO)
Coordenar                                reedição                        preestabelecer
Coordenação                            refazer                           preexistir
Coordenador                            reescrever                      prever
Coobrigar                                 relembrar
Cooperação                              reutilização
Cooperativa                              reelaborar

O ideal para memorizar essas regras, lembre-se, é conhecer e usar pelo menos uma palavra de cada prefixo. Quando bater a dúvida numa palavra, compare-a à palavra que você já sabe e escreva-a duas vezes: numa você usa o hífen, na outra não. Qual a certa? Confie na sua memória! Uma delas vai te parecer mais familiar.

REGRA GERAL (Resumindo)

Letras iguais, separa com hífen(-).
Letras diferentes, junta.
O “H” não tem personalidade, vai na “onda” dos outros. Separa (-).
O “R” e o “S” são valentes. Se estão perto das vogais (mulherada) fica tão macho que viram DOIS. Mas não se juntam com consoantes (Cabra macho).



Novo Acordo Ortográfico

Alfabeto

A influência do inglês no nosso idioma agora é oficial. Há muito tempo as letras “k”, “w” e “y” faziam parte do nosso idioma, isto não é nenhuma novidade. Elas já apareciam em unidades de medidas, nomes próprios e palavras importadas do idioma inglês, como:
km – quilômetro,
kg – quilograma
Show, Shakespeare, Byron, Newton, dentre outros.


Trema

Não se usa mais o trema em palavras do português. Quem digita muito textos científicos no computador sabe o quanto dava trabalho escrever linguística, frequência. Ele só vai permanecer em nomes próprios e seus derivados, de origem estrangeira. Por exemplo, Gisele Bündchen não vai deixar de usar o trema em seu nome, pois é de origem alemã. (neste caso, o “ü” lê-se “i”)

Quanto à classificação da sílaba, as palavras podem ser:
  • Átonas – quando não há ênfase na pronúncia de uma sílaba.
  • Tônicas – quando há ênfase na pronúncia de uma sílaba.
Ex. A palavra “mato” tem duas sílabas: a primeira “ma” – é tônica; a segunda “to” – é átona.
Quanto à posição da sílaba tônica, as palavras podem ser:
  • Oxítonas – quando a sílaba forte encontra-se na última sílaba de uma palavra.
Ex. saci, funil, parabéns, ca, calor, bombom.
  • Paroxítonas – quando a sílaba forte encontra-se na penúltima sílaba.
Ex. escola, sossego, dormindo, avel.
  • Proparoxítonas – quando a sílaba forte encontra-se na antepenúltima sílaba.
Ex. pêndulo, lâmpada, pido, blico, mico.
Quanto à classificação dos encontros vocálicos:
  • Ditongoencontro de duas vogais numa só sílaba.
Ex. céu, véu, coisa, ideia.
  • Hiatoencontro de duas vogais em sílabas separadas.
Ex. fa-ís-ca, i-dei-a, pa-pa-gai-o, ba-i-nha.
Quanto ao número de sílabas, as palavras podem ser:
  • Monossílabas – com apenas uma sílaba.
Ex. mau, mês, vi, um, só
  • Dissílabas – com duas sílabas.
Ex. Ca-fé, Ca-sa, mui-to, li-vro, rou-pa, rit-mo
  • Trissílabas – palavras com três sílabas.
Ex. Eu-ro-pa, cri-an-ça, ma-lu-co, tor-na-do
  • Polissílabas – palavras com quatro ou mais sílabas.
Ex. Pa-ra-pei-to, es-tu-dan-te, u-ni-ver-si-da-de, la-bi-rin-ti-te.
As gramáticas costumam ainda classificar os monossílabos (palavras com apenas uma sílaba) em dois tipos:
  • Monossílabo átono: palavras de uma sílaba fraca, ou seja, pronunciada sem ênfase. Estes podem ser:
Artigos: o, a, um…
Pronomes Pessoais Oblíquos: se, te, ti, lhe, o, a…
Conjunção: e, ou, mas, nem…
Preposição: dos, de, à, na…
  • Monossílabo tônico: palavras de uma sílaba tônica, ou seja, pronunciadas com ênfase, que podem ser:
Verbos: li, vi, ter, ser, dê…
Substantivos: sol, mar, flor, dor, mel…
Adjetivos: mau, bom, má…
Pronomes: eu, tu, nós, mim…
Advérbios: lá, cá, bem, já…

Trema
Não se usa mais o trema, salvo em nomes próprios e seus derivados.

Acento diferencial
Não é preciso usar o acento diferencial para distinguir:
  1. Para (verbo) de para (preposição)
“Esse carro velho para em toda esquina”.
“Estarei voltando para casa daqui a uma hora”.
  1. Pela, pelo (verbo pelar) de pela, pelo (preposição + artigo) e pelo (substantivo)
  2. Polo (substantivo) de polo (combinação antiga e popular de por e lo).
  3. pera (fruta) de pera (preposição arcaica).
A pronúncia ou categoria gramatical dessas palavras dar-se-á mediante o contexto.
Acento agudo
Ditongos abertos “ei”, “oi”

Não se usa mais acento nos ditongos ABERTOS “ei”, “oi” quando estiverem na penúltima sílaba.
He-roi-co                               ji-boi-a
As-sem-blei-a                       i-dei-a
Pa-ra-noi-co                          joi-a

OBS. Só vamos acentuar essas letras quando vierem na última sílaba e se o som delas estiverem aberto.
Céu                                         véu
Dói                                          herói
Chapéu                                  beleléu
Rei, dei, comeu, foi (som fechado – sem acento)

Não se recebem mais acento agudo as vogais tônicas “I” e “U” quando forem paroxítonas (penúltima sílaba forte) e precedidas de ditongo.
feiura                                     baiuca
cheiinho                                 saiinha
boiuno

Não devemos mais acentuar o “U” tônico os verbos dos grupos “GUE/GUI” e “QUE/QUI”. Por isso, esses 
verbos serão grafados da seguinte maneira:
Averiguo (leia-se a-ve-ri-gu-o, pois o “U” tem som forte)
Arguo                                     apazigue
Enxague                                arguem
Delinguo
Acento Circunflexo

Não se acentuam mais as vogais dobradas “EE” e “OO”.
Creem                                              veem
Deem                                                        releem
Leem                                                         descreem
Voo                                                  perdoo
enjoo

Outras dicas

Há muito tempo a palavra “coco” – fruto do coqueiro – deixou de ser acentuada. Entretanto, muitos alunos insistem em colocar o acento: “Quero beber água de côco”.
Quem recebe acento é “cocô” – palavra popularmente usada para se referir a excremento.
Então, a menos se que queira beber água de fezes, é melhor parar de colocar acento em coco.

Para verificar praticamente a necessidade de acentuação gráfica, utilize o critério das oposições:
Imagem      armazém
Paroxítonas terminadas em “M” não levam acento, mas as oxítonas SIM.
Jovens        provéns
Paroxítonas terminadas em “ENS” não levam acento, mas as oxítonas levam.
Útil              sutil

Paroxítonas terminadas em “L” têm acento, mas as oxítonas não levam porque o “L”, o “R” e o “Z” deixam a sílaba em que se encontram naturalmente forte, não é preciso um acento para reforçar isso.
É por isso que: as palavras “rapaz, coração, Nobel, capataz, pastel, bombom; verbos no infinitivo (terminam em –ar, -er, -ir) doar, prover, consumir são oxítonas e não precisam de acento. Quando terminarem do mesmo jeito e forem paroxítonas, então vão precisar de acento.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Querido John


Ao iniciar o livro o autor já faz uma pergunta difícil se ser respondida: O que significa amar verdadeiramente uma pessoa?

            John Tyree foi criado apenas pelo pai que era colecionador de moedas, um homem de poucas palavras,mas de bondade rara.Mas isso não foi o suficiente para John passar a adolescência sem rebeldia.Quando terminou o colégio ele começou a trabalhar em algumas lojas da cidade,sempre na mesma rotina,saindo com garotas,bebendo,arrumando brigas e todo mês estava em um emprego diferente.O que fez disso ele cansar e mudar de vida,decidiu  então se alistar no Exercito Americano.Tornou-se responsável e logo de soldado passou para sargento.Em sua licença de duas semanas ele volta a sua cidade Carolina do Norte.
            Em um dos dias em que saiu para matar a saudade de surfar, John conhece Savannah Lynn Curtis,uma garota religiosa que estava ali de férias da faculdade,para ajudar a construir casas para famílias pobres.Ao conhecer  Savannah  John logo tem uma certeza de que é paixão a primeira vista,sabia que era muito mais do que um amor de verão e que Savannah era a garota de seus sonhos,sendo assim ela também se apaixona por John e eles vivem as duas semana mais apaixonadas e intensas de suas vidas.
            Quando Savannah se da conta que se aproxima a hora de John voltar a Alemanha sente uma dor que nunca sentiu antes,mas John promete que voltará para se casar com ela e Savannah promete esperar John sair do Exército.John fica um ano longe e eles passam a se comunicar por cartas,telefonemas e e-mails.
            Na segunda licença de John Savannah já estará formada e trabalhará para alguns como assistente de alguns professores, e tinha se apartamento no campus, onde John fica com ela, passando dias intensos de amor e brigas.A ideia de passar novamente pela dor que passou na ultima vez que teve que ficar longe de John,deixava Savannah mais apreensiva,e ela  tentava ficar ate um pouco mais distante e isso magoava John,que não entendia porque Savannah estava agindo assim,causando então muitas brigas entre eles.Mas como já estava próximo de John sair do Exército Savannah promete ter um pouco mais de paciência.
            O que eles não esperavam é que o atentado de 11 de setembro fossem mudar suas vidas.John se vê dividido entre voltar para casa e viver um amor loucamente lindo com Savannah,ou se alistar novamente para defender o seu país,que significaria mais dois anos longe de Savannah.
            Então quando John escolhe seu país Savannah fica arrasada por ter de esperar mais dois anos,mas as cartas enviadas por Savannah no Exército não eram as mesmas de quando ela escrevia na primeira licença de John ,então chega um dia em que Savannah lhe escreve pedindo perdão pelo o que iria escrever ,que queria dizer isso pessoalmente mas não pode,então Savannah diz a ele que estava apaixonada por outra pessoa.John naquela hora ficou sem chão,parecia que seu mundo iria parar,mas foi levando sua vida mesmo todos os dias pensando em Savannah.
            Quando seu pai morre John vende a casa em que morava na Carolina do Norte  propriamente deixado pelo seu pai.Quando John volta a sua cidade sua vontade e ir ver Savannah o mais rápido possível,afinal desde a carta ele não teria  mais visto ela,que significa uns dois ou três anos. 
            Quando resolveu em ir ate a casa de Savannah encontrou-a cuidando dos cavalos, assim que Savannah o avistou não parecia acreditar e veio correndo gritando “John”,e logo ficaram conversando por horas e horas,após saber que Savannah teria casado com Tim (amigo de Savannah que conhecerá em sua primeira licença) John fica feliz e ao mesmo tempo triste,feliz de saber que ela casara com um cara bom,e triste por saber que teria perdido o amor de sua vida para ele.
            John foi convidado por Savannah em ir ao hospital para visitar Tim, pois estava com um câncer de pele chamado “melanoma”. Parecia que iria morrer. Antes de voltar para o Exército,John vendeu toda a coleção que seu pai deixará para ele,e doou para Tim pois nas suas condições o convenio medico não cobria as determinadas medicações certas para Tim.
            No final do livro John depois de um tempo volta à casa de Savannah mais fica observando-a de longe e vê que realmente está feliz, mesmo ele estando triste.